Cultura

29 de agosto de 2014 - 15h37

No mar...

       

No seu lugar
 
Se for pra padecer
Que seja numa padaria
Se for pra merecer
Que seja numa mercearia
Se for pra estremecer
Que seja numa estrebaria
Se for pra me entender
Que seja numa enfermaria
Se for pra pesquisar
Que seja numa pescaria
Se for pra me livrar
Que seja numa livraria
Se for pra me arrumar
Que seja numa romaria
Se for pra me alegrar
Que seja numa alegoria
Se for pra te amar
Seja como tem de ser
No mar com um belo entardecer
De um dia que a gente inventaria      

Hora Extra
 
Tenho sede de vida
Dê-me rede, guarida, amor
Ah, tanto tempo em coma
Na frente do computador
Dê-me um banho de arco-íris
Dê-me um beijo de açafrão
Já superei tantas crises
Encouracei coração
Mesmo sem asas, eu plano
Mesmo sem grana, enriqueço
Vou me dar bem nesse ano
Se não me engano, eu mereço
 
(*) Marcos Eduardo Massolini é poeta e jornalista


  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais