América Latina

28 de agosto de 2014 - 14h49

“América Latina foi vanguarda solidária com Gaza”, afirmam palestinos


Correo del Orinoco
Líderes palestinos classificam como "vanguarda" a solidariedade da América Latina com o povo palestino Líderes palestinos classificam como "vanguarda" a solidariedade da América Latina com o povo palestino
Em um encontro de lealdade à Palestina, o membro do Conselho Nacional Palestino, Salah Salah, contrastou a firme condenação de governos latino-americanos e caribenhos aos bombardeios sionistas com a conivência dos Estados Unidos e seus aliados europeus.

“Seus países lançaram um grito de condenação contra Israel e enquanto outros abriram seus estabelecimentos militares para que o Estado sionista repusesse as armas que promoveram a agressão contra Gaza”, disse o político árabe diante de embaixadores latino-americanos e caribenhos.

“Seus presidentes adotaram decisões valentes contra Israel e de apoio à Palestina”, disse Salah Salá aos embaixadores de Cuba, Venezuela, Equador, México, Chile, Paraguai, Argentina, Brasil e Bolívia, que receberam placas de reconhecimento.

O político ainda pontuou que a principal base para Tel Aviv foi Washington ao aplicar a mesma prepotência que emprega para impor um bloqueio injusto a Cuba. Lembrou que já na década de 1970 Cuba, então presidida por Fidel Castro, cortou relações com Israel e foi um dos primeiros estados a subir ao posto de embaixada sua representação na Palestina.

Em tributo à atitude solidária dos povos e governos da América Latina, os palestinos enalteceram também o feito do presidente venezuelano Hugo Chávez, que durante uma forte agressão israelense contra a Palestina em 2009, cortou relações diplomáticas “pela raiz” com o país sionisa.

Já a Bolívia, por sua vez, tomou a iniciativa de colocar Israel na lista dos países promotores do terrorismo e cancelou um acordo de extensão de vistos.


Fonte: Gramna


  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais