Brasil

2 de julho de 2014 - 19h40

PCdoB repudia mais uma agressão a palestinos


Reuters
Mais de 1.500 crianças e adolescentes palestinos, entre os anos 2000 e 2013, foram mortos por israelenses Mais de 1.500 crianças e adolescentes palestinos, entre os anos 2000 e 2013, foram mortos por israelenses
Leia abaixo a íntegra da nota:

Manifestamos o nosso mais veemente repúdio às agressões do regime sionista de Israel contra os palestinos nos últimos dias.

Desde o desaparecimento de três jovens colonos israelenses, que foram encontrados mortos dias depois, Israel vem adotando uma política sistemática de punição coletiva aos palestinos, destruindo casas, bombardeando cidades com armas químicas e matando civis, inclusive várias crianças e adolescentes, aleatoriamente.

Lastimamos e condenamos as mortes dos três jovens israelenses, no entanto elas não devem servir para esconder a verdade.

Lastimamos e condenamos também o genocídio de mais de 1.500 crianças e adolescentes palestinos, entre os anos 2000 e 2013, pelas ações militares e de segurança de Israel, segundo dados da organização Remember These Children.

O que está em jogo, enquanto o governo de Israel acusa sem provas o Hamas de ter sido responsável pelo assassinato dos jovens colonos cujas famílias ocupam ilegalmente terras palestinas, é a tentativa de preparação da opinião pública do país e da opinião pública mundial para apoiar uma nova onde de massacres contra os palestinos, a fim de continuar com a ocupação da Palestina e com o genocídio de seu povo, impedindo assim a paz e a criação definitiva do Estado da Palestina.

O que realmente está ocorrendo é uma reação desesperada e agressiva do governo de Israel para tentar destruir a recém-anunciada unidade das forças políticas palestinas, com o acordo entre a Organização pela Libertação da Palestina (OLP) e o Hamas, que resultou na formação de um novo governo de unidade nacional.

Reafirmamos a nossa posição histórica em defesa da causa palestina e contra as agressões do regime sionista que utiliza o terrorismo de Estado contra os palestinos.

As resoluções do 13º Congresso do PCdoB, expressando a nossa longa história de solidariedade à causa palestina e de combate às ocupações neocoloniais, como é a ocupação de Israel das terras palestinas definidas pela Organização das Nações Unidas (ONU), dizem: “O povo palestino luta contra a política genocida e opressora do Estado de Israel, que usurpa suas terras e o submete a uma cruel forma de neocolonialismo".

"A decisão da ONU de reconhecer o Estado da Palestina como observador é um alento para a luta do povo palestino, que recebe a solidariedade dos povos de todo o mundo em sua saga libertadora. O PCdoB defende essa justa e heroica luta dos palestinos por seu Estado independente e soberano, nas fronteiras anteriores à guerra de 1967, com capital em Jerusalém Leste e o retorno dos refugiados, conforme decisão da ONU.”

Portanto, essa é a posição do PCdoB e deve ser a posição pública de qualquer filiado, militante, dirigente ou parlamentar que se manifeste em nome do Partido.

Ricardo Alemão Abreu

Secretário de Relações Internacionais do PCdoB


  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais