Brasil

29 de março de 2014 - 18h00

Brasil doa alimentos para 5 milhões de refugiados palestinos


Théa Rodrigues/Portal Vermelho
Embaixador do Brasil para a Palestina em Ramallah, Paulo Roberto França, recebe comitiva brasileira da Terceira Missão de Solidariedade ao Povo Palestino. Embaixador do Brasil para a Palestina em Ramallah, Paulo Roberto França, recebe comitiva brasileira da Terceira Missão de Solidariedade ao Povo Palestino.
“O Brasil tem sido muito consistente no apoio à causa palestina”, disse o diplomata ao recordar que o país votou a favor do reconhecimento de um Estado palestino observador não-membro na Assembleia Geral da ONU em 2012. França lembrou também que a presidenta Dilma Rousseff frequentemente inclui em seus discursos uma menção ao direito de autodeterminação e soberania do povo palestino. Segundo ele, este tipo de posicionamento “facilita o trabalho diplomático do ponto de vista político”.

O embaixador comentou à delegação brasileira de solidariedade e ao Portal Vermelho que um acordo de livre comércio com a Palestina está sendo submetido ao Congresso para ratificação. De acordo com ele, “a ideia é que com a eventual aprovação deste acordo, o intercâmbio com o Brasil favoreça a produção e a criação de empregos na Palestina”.

Leia também:
Portal Vermelho acompanha ato de solidariedade na Palestina
Colonos israelenses restringem direitos básicos aos palestinos

O Brasil também tem um acordo de livre comércio com Israel, contudo, o decreto legislativo diz de maneira clara que os produtos originários de assentamentos não podem ser beneficiados com a isenção de imposto. França disse que o Brasil apresentou essa posição ao governo israelense e afirmou que o tema será objeto de discussão no decorrer deste ano, na comissão do acordo.

Sobre as iniciativas da Embaixada brasileira na Palestina, o diplomata disse que foram desenvolvidos diversos programas nas áreas de educação, saúde e segurança alimentar. “No ano passado, durante a visita do ministro da saúde, Alexandre Padilha, estivemos em Hebron, onde inauguramos uma clínica, que foi financiada pelo Brasil”, contou França, que afirmou ter sido um momento de grande emoção por ser a concretização da contribuição brasileira para o desenvolvimento da Palestina. “Também na região de Hebron, construímos uma escola e, na inauguração, fui recebido por crianças palestinas com bandeiras do Brasil nas mãos”, relatou o embaixador brasileiro.


Delegação brasileira da Terceira Missão de Solidariedade ao Povo Palestino é recebida pelo embaixador
Paulo Roberto França em Ramallah

 
Contribuição brasileira aos refugiados palestinos

O Brasil também contribui com a Agência da ONU de Trabalhos e Assistência aos Refugiados palestinos (UNRWA, em inglês), que tem como principais funções o fornecimento de produtos alimentícios, educação e saúde. Segundo França, nos últimos dois anos, o governo brasileiro aportou entre 9 e 10 milhões de dólares em dinheiro para a UNRWA. Trata-se do primeiro país em desenvolvimento e o primeiro do grupo dos Brics (formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) que tem tão alto nível de contribuição.

Não obstante, recentemente, o Brasil enviou 8 milhões de dólares em arroz que serão distribuídos em todos os campos de refugiados palestinos administrados pela UNRWA. “O Brasil está doando arroz para 5 milhões de pessoas na Cisjordânia, em Gaza, no Líbano, na Síria e na Jordânia”, disse França ao ressaltar que essa iniciativa equivale ao consumo de um ano de todos esses refugiados. Segundo o diplomata, o primeiro lote desta contribuição brasileira deve chegar já no mês de abril à Gaza.

Cooperação com outros países

O Brasil, a África do Sul e a Índia mantêm uma parceria em três projetos de solidariedade ao povo palestino. Um deles é o financiamento da renovação de todo um setor do Hospital Crescente Vermelho, em Gaza. “São salas de cirurgia com equipamentos cardiovasculares com um nível de qualidade que não existe hoje naquela região”, afirmou França.

Obras brasileiras na Palestina

O governo do Brasil também investiu na construção de um Palácio de Esportes em Ramallah e de um centro de reabilitação em Nablus. Além disso, de acordo com as informações expostas pelo embaixador brasileiro, em uma cooperação bilateral, o Brasil participou da edificação de três pontes em Gaza, com auxilio do PNUD.

“Infelizmente, uma dessas pontes que ia ser inaugurada em novembro do ano passado, foi destruída pelas operações militares israelenses, durante o conflito”, relatou França. Apesar disto, a avaliação do diplomata em relação ao apoio brasileiro à causa palestina é bastante positiva. “Estamos contribuindo para o desenvolvimento de um Estado da Palestina”, afirmou.


  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais