Mundo

25 de julho de 2013 - 11h35

Gastos dos EUA com prisão de Guantânamo impulsionam debates


The Guardian
Protestos contra a prisão de Guantânamo são frequentes, como os realizados por organizações internacionais de direitos humanos (na foto, manifestantes da organização Anistia Internacional). Protestos contra a prisão de Guantânamo são frequentes, como os realizados por organizações internacionais de direitos humanos (na foto, manifestantes da organização Anistia Internacional).
O jornal informou ter obtido o informe dos custos operativos da prisão através de Adam Smith, democrata de alto nível no Comitê de Serviços Armados do Senado. A mesma fonte disse que o informe do Pentágono (Departamento de Defesa dos EUA) conclui que o país gastou quatro bilhões de dólares na operação do centro de detenção ilegal desde 2002.

Enquanto o Congresso discutia o tema em audiência, dezenas de estadunidenses, de distintas religiões (muçulmanos, cristãos e judeus), em um ato organizado pela coalizão Campanha Religiosa Nacional contra a Tortura (NRCAT, na sigla em inglês) fizeram uma greve de fome de 24 horas em Washington, capital dos EUA, para pedir o encerramento de Guantânamo.

Depois de os Estados Unidos terem visto um grande número de manifestações para pedir o encerramento da prisão, além das pressões exercidas por diversas organizações internacionais pelos direitos humanos que pressionavam Washington, o presidente Barack Obama prometeu, ainda em campanha, que fechará o centro de detenção.

Entretanto, opositores têm dificultado a medida, por exemplo, com a aprovação recente de uma lei que proíbe o governo estadunidense de investir recursos no transporte dos detidos. Ainda assim, analistas políticos afirmam que Obama poderia usar o seu poder Executivo para tomar esta medida.

Com informações da HispanTV,
Da redação do Vermelho



  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais