Brasil

30 de novembro de 2010 - 11h01

Prefeito expulso do PPS por apoiar Dilma pode ir para o PT


A decisão de desligar Reis do PPS por "questão da fidelidade partidária" foi tomada pelo Diretório Nacional do partido, à revelia da direção estadual — que defendia o prefeito. Em comunicado que formalizou a expulsão, o PPS diz passar por “amplo processo de reestruturação”, após péssimo desempenho eleitoral. O mesmo documento, de forma contraditória, ressalta a necessidade de fortalecer a "democracia interna" — mas traz a promessa de atropelar “atuais debilidades orgânicas".

Nas eleições de outubro, o PPS, apoiador da fracassada candidatura presidencial de José Serra (PSDB), perdeu dez deputados federais (de 22 para 12). Na disputa ao Senado, elegeu apenas Itamar Franco (MG), no rastro da votação do também senador eleito Aécio Neves (PSDB).

Diferentemente de Reis — que mostrou sintonia com os interesses populares e nacionais ao defender um projeto de continuidade ao governo Lula —, o PPS dá sinais de que pretende minguar ainda mais na oposição. Tanto que o presidente do Conselho de Ética do PPS, Renato Atílio, acusou Reis de "atos graves" e afirmou não haver "outra alternativa" ao partido.

Gustavo Reis ingressou na política em 1998 — ano em que se filiou ao PPS. Foi vereador de Jaguariúna de 2001 a 2004, membro do Diretório Nacional do partido e vice-presidente Nacional da JPS (Juventude Popular Socialista). Em 2008, depois de passar quase toda a campanha em terceiro lugar nas pesquisas eleitorais, foi eleito prefeito com 42,5% dos votos, à frente de uma coligação com 14 partidos.

Ainda na segunda-feira, horas depois de ser expulso do PPS, Reis afirmou, em nota, que só da decisão “unilateral” do PPS pela imprensa, sem ter “direito constitucional de ampla defesa, como também prevê o estatuto do PPS".

"Sempre adotei posição aberta, clara, ética e transparente em relação à melhor opção para o povo brasileiro que, na verdade, veio a ser amplamente consagrada nas urnas", registrou Reis. "Minha consciência neste ponto está serena, convicta e coerente com meus 12 anos de PPS, única legenda de minha vida pública e cujo estatuto sempre sustentou os princípios do pluralismo político, dos valores da liberdade e a radicalidade democrática."

O prefeito é apoiado pelo PCdoB, que tem dois dos nove vereadores na Câmara Municipal, além do secretário de Esporte. Jaguariúna tem pouco mais de 41 mil habitantes e se localiza na região metropolitana de Campinas (SP), a 116 quilômetros da capital paulista.


  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais