Brasil

3 de abril de 2009 - 16h52

Prefeito toca o terror contra opositores em Milagres (BA)


A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) denunciou no plenário da Câmara dos Deputados os abusos cometidos pelo prefeito de Milagres (BA), Raimundo de Souza Silva, do PR, conhecido como Galego. Segundo a parlamentar, os que apoiaram o candidato de oposição


“Muitas vezes, as ameaças e as agressões verbais contra adversários são desferidas pelo próprio prefeito, um homem que chegou a ponto de desfilar de carro pela cidade após as eleições entoando pelos alto-falantes músicas fúnebres diante da residência de quem não o apoiou e bradando que quem mandava em Milagres era ele”, contou Alice Portugal, ao destacar ter se comprometido com a população do município a denunciar as ações do prefeito ao governador Jacques Wagner, ao Ministério Público e à Secretaria Estadual de Segurança Pública .


Agressões


De acordo com a deputada, após as eleições, o vereador eleito Jânio Alves Andrade (PCdoB) sofreu agressões em frente ao complexo policial da cidade, sem que a Polícia Militar ou o delegado fizessem coisa alguma. “A única autoridade de Milagres que tem agido na defesa dos direitos dos cidadãos tem sido a promotora Manoela Rocha, a quem parabenizo pela postura corajosa e correta”, elogiou. Segundo a parlamentar, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Milagres é de 0,522, um dos mais baixos da Bahia.


Alice denunciou ainda que o prefeito Raimundo de Souza Silva desencadeou feroz perseguição contra os professores municipais, impondo a transferência dos que residiam na sede do município para escolas dos distritos e fazendo o inverso com aqueles que residiam e lecionavam nos distritos. Em um só decreto, editado em 09 de fevereiro de 2009, o prefeito removeu de seus locais de trabalho 18 professores sem qualquer justificativa, disse a deputada.


Outra irresponsabilidade que está sendo cometida pelo atual prefeito, prosseguiu a parlamentar, é a contratação de funcionários sem concurso público para exercerem funções típicas do serviço público municipal, inclusive em áreas de onde a prefeitura retirou servidores concursados alegando excesso de pessoal.


Ao concluir seu pronunciamento, Alice Portugal reafirmou seus compromissos com os cidadãos de Milagres a prometeu envidar esforços junto ao governador e ao Ministério Público para dar um basta ao reinado de perseguições e abusos cometidos pelo prefeito de Milagres e seus seguidores. “A Bahia não pode mais tolerar comportamentos arbitrários como os que ocorrem naquela cidade, pois os tempos são outros e o reinado do coronelismo que tantos males causaram ao Estado foi derrotado pela vontade do povo”, afirmou.

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR