Cultura

15 de janeiro de 2009 - 17h10

Grafite na Avenida 23 de Maio homenageia São Paulo

O mural que vai homenagear São Paulo, nos 455 anos da cidade, terá cerca de 1.000 metros quadrados, com uma cena paulistana na década de 20. Tem sido produzido em ritmo frenético, para ser entregue no dia 25 de janeiro, data do aniversário. Mesmo com a


Após os lamentáveis acontecimentos em que belos trabalhos feitos por grafiteiros foram apagados pela tinta ocre de fiscais da Cidade Limpa, a arte urbana de São Paulo passa por um ótimo momento. Primeiro foram os gêmeos que refizeram o grande mural de grafite próximo ao viaduto Júlio de Mesquita Filho, região central de São Paulo.


Agora é a vez de Eduardo Kobra, que iniciou no dia 5 de janeiro o imenso mural, com cerca de 1.000 metros quadrados, que representa o maior painel feito em homenagem ao aniversário da Cidade. A obra, toda em preto e branco, tem sido produzida em frenético ritmo paulistano: das 9h às 20h. Junto com Kobra, trabalham mais quatro artistas.


Para a execução do trabalho, se apóiam em escadas sobre a calçada estreita, “em meio a buzinas, trânsito intenso e à poluição desta ‘floresta de concreto e arte’”, como define Kobra.  “A imagem é em PB para contrastar com colorido dos carros, dos painéis e das luzes e, ainda, para humanizar o espaço com uma cena clássica e nostálgica. É, ainda, um movimento de arte que acontece no meio do caos”, afirma o grafiteiro.


Para fazer o Mural, Kobra contou com a autorização do secretário municipal das Subprefeituras Andrea Matarrazo. “São Paulo está agora valorizando espaços de murais na cidade. É uma cidade que se mostra diferente, ao ceder um espaço enorme, em uma das mais importantes avenidas da Cidade, para uma manifestação artística”, elogia Kobra.


Mesmo com a permissão para o trabalho, os artistas do Studio Kobra já tiveram alguns contratempos. Na terça-feira (6), no segundo dia de trabalho, alguém ligou para a polícia para avisar sobre uma suposta pichação no muro. “Uma viatura da polícia militar parou em frente à obra e interrompeu o trabalho. Após checarem na Subprefeitura da Vila Mariana, liberaram”, conta Kobra.


Entusiasta da arte de rua


Para a execução da obra Kobra usa seus próprios recursos: “sou entusiasta da arte de rua e estou patrocinando sozinho o meu próprio mural”, diz o artista, que sonha com o apoio de empresas para custear o material utilizado e assumir a parceria deste presente para São Paulo.


Kobra é autor do projeto “Muro das Memórias”, que tem como principal objetivo transformar a paisagem urbana através da arte e resgatar a memória de São Paulo. Desde 2006 já foram entregues 18 murais, em avenidas e ruas da cidade, como a Paulista, a Sumaré, a Belmiro Braga, Helio Pelegrino, Rangel Pestana e Henrique Schaumann.


Em 2007, abriu a exposição “Memórias de São Paulo” na Praça Benedito Calixto, seguindo o tema. Em outubro de 2008 fez na galeria Michelangelo, na Vila Madalena, a exposição “Lei da Cidade que Pinta”, onde placas, outdoors, luminosos e outros materiais de comunicação visual retirados pelos fiscais e funcionários da Prefeitura ressurgiram como suporte para as obras de arte.

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais