Brasil

6 de janeiro de 2014 - 11h08

Menina queimada durante ataques a ônibus morre em São Luís


A menina Ana Clara Santos Sousa, de 6 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu nesta segunda-feira (6) às 6h30. Ela sofreu intensas queimaduras, chegando a atingir 95% do seu corpo, durante os ataques a ônibus em São Luís, na última sexta-feira (3) à noite.


Reprodução
O Secretário Segurança Pública do estado, Aluísio Mendes, afirmou que a ordem para os ataques partiu de dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas O Secretário Segurança Pública do estado, Aluísio Mendes, afirmou que a ordem para os ataques partiu de dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas
A  família de Ana Clara também foi atingida no ataque ao veículo.  A irmã, com a penas 1 ano e 5 meses, permanece internada no Hospital Estadual Infantil Juvêncio Matos. Ela teve queimaduras em 20% do corpo, mas o seu quadro é considerado estável e está fora de perigo. A mãe das crianças, de 22 anos, teve 40% do corpo queimado e permanece internada no Hospital Geral Tarquínio Lopes Filho.

A polícia do Maranhão deteve dez pessoas envolvidas nos ataques, entre elas dois adolescentes. Na avaliação das autoridades maranhenses, os ataques foram uma retaliação às medidas adotadas para combater a criminalidade nas unidades prisionais da capital, que receberam o reforço da Polícia Militar no fim de dezembro. 
 
A crise prisional no estado veio à tona em outubro, quando houve uma rebelião no Complexo de Pedrinhas, deixando nove mortos e 20 feridos. O Complexo Penitenciário de Pedrinhas já registrou duas mortes de detentos este ano.
 
A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, tem até esta segunda-feira (6) como prazo, para prestar informações ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sobre a situação dos presídios no estado.

Da redação em São Paulo com agências
  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais