América Latina

6 de março de 2013 - 7h32

Cuba manterá eterna lealdade à memória e ao legado de Chávez


O governo cubano expressou na noite da terça-feira (5) o pesar pela morte do presidente venezuelano, Hugo Chávez, e reafirmou seu irrestrito apoio à Revolução Bolivariana. Leia a íntegra da declaração do governo revolucionário cubano.


“Até sempre, Comandante

Com profunda e dilacerante dor, nosso povo e o Governo Revolucionário tomaram conhecimento da morte do Presidente Hugo Rafael Chávez Frías, e prestam uma sentida e patriótica homenagem em sua entrada à História como Herói de Nossa América.

Expressamos sinceras condolências a seus pais, irmãos, filhas e filho e a todos os seus familiares que já são nossos, como Chávez é também filho de Cuba, da América Latina e do Caribe, e do mundo.

Neste momento de profunda tristeza, compartilhamos os mais profundos sentimentos de solidariedade com o irmão povo venezuelano, que acompanharemos em todas as circunstâncias.

A Revolução Bolivariana terá nosso firme e irrestrito apoio nestas difíceis jornadas.

A nossos colegas da Direção Político-Militar bolivariana e do Governo venezuelano, reiteramos nosso apoio, fôlego e fé na vitória.

O Presidente Chávez protagonizou uma extraordinária batalha ao longo de sua jovem e fecunda vida. Lembraremos dele sempre como militar patriota a serviço da Venezuela e da Pátria Grande; como honesto, lúcido, ousado e valente lutador revolucionário; como líder e comandante supremo que reencarnou Bolívar para fazer o que ele não pôde terminar; fundador da Aliança Bolivariana Para os Povos de Nossa América (Alba) e da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac).

Sua heroica e ousada luta contra a morte é um insuperável exemplo de firmeza. A admirável entrega de seus médicos e enfermeiras foram uma proeza de humanismo e consagração.

A volta do Presidente à Pátria venezuelana, que tanto amou, mudou a história. "Temos Pátria", exclamou Chávez com emoção no passado dia 8 de dezembro, e voltou a ela para enfrentar os maiores riscos que a doença impunha. Nada nem ninguém poderá arrebatar do povo venezuelano a Pátria resgatada.

Toda a obra de Chávez aparece invicta perante nós. As conquistas do povo revolucionário que o salvou do golpe de abril de 2002 e o seguiu sem vacilação, são já irreversíveis.

O povo cubano o sente como um de seus mais destacados filhos e o admirou, seguido e querido como um de nós. Chávez é também cubano! Sentiu em sua carne nossas dificuldades e problemas e fez tudo que pôde, com extraordinária generosidade, especialmente nos anos mais duros do Período Especial. Acompanhou Fidel como um filho verdadeiro e sua amizade com Raúl foi entranhável.

Brilhou nas batalhas internacionais frente ao imperialismo, sempre em defesa dos pobres, dos trabalhadores, de nossos povos. Nobre, persuasivo, eloquente, engenhoso e emocionante, falou das entranhas dos povos, cantou nossas alegrias, e declamou nossos versos apaixonados com eterno otimismo.

As dezenas de milhares de cubanos que trabalham na Venezuela prestarão homenagem ao presidente Chávez com o veemente cumprimento do dever internacionalista e continuarão acompanhando com honra e altruísmo a epopeia do povo bolivariano.

Cuba manterá eterna lealdade à memória e ao legado do Comandante Presidente Chávez e persistirá em seus ideais de unidade das forças revolucionárias e de integração e independência da Nossa América.

Seu exemplo nos conduzirá nas próximas batalhas.

Até a vitória sempre!"

O governo cubano declarou luto oficial pela morte do presidente venezuelano Hugo Chávez Frías.

Prensa Latina
  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais