Movimentos

11 de novembro de 2010 - 12h38

Sindicato dos Metalúrgicos de Betim (MG) para trânsito na BR 381 


Manifestação realizada na manhã desta quinta-feira (11) pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas,  interrompeu o trânsito por cerca de 10 minutos em uma das pistas da BR 381, no sentido de São Paulo, em trecho da cidade de Betim (MG).


Eliezer Dias
A luta é encampada desde março de 2008 pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Betim A luta é encampada desde março de 2008 pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Betim
O protesto, que durou cerca de 40 minutos, foi organizado com o objetivo de cobrar agilidade das autoridades responsáveis na construção de uma passarela sob as duas vias da BR, na entrada do Jardim Piemont, bairro predominantemente industrial, que abriga, aproximadamente, 300 empresas - estimativas dão conta de que, na região, trabalhem cerca de 8 mil trabalhadores, dentre os quais 2,3 mil metalúrgicos da base de representação do sindicato. A deputada federal Jô Moraes (MG) expressou sua solidariedade a esta luta dos metalúrgicos de Betim no último dia 4, na tribuna da Câmara Federal.

Leia também
Durante o protesto, que foi monitorado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), os manifestantes portavam duas enormes faixas brancas, num gesto que simbolizava o pedido de “paz” na rodovia, e outras faixas com os dizeres “Passarela do Jardim Piemont: a vida pede passagem”, “Trabalhadores exigem a construção da Passarela do Jardim Piemont” e “Chega de mortes e acidentes por omissão das autoridades”.

Pedestres correm riscos

A reportagem do jornal do sindicato constatou a dificuldade dos pedestres que desembarcam dos ônibus, sobretudo os que vêm de Betim, para atravessar as seis pistas da rodovia.

No horário de maior fluxo de veículos neste trecho da rodovia, entre 6h30 e 7 horas, em média 6 pessoas por minuto se acotovelam na mureta que divide as duas vias da BR, na tentativa de atravessá-las para chegar ao trabalho – em alguns momentos, a demora para fazer a travessia passa de 10 minutos.

“Todos os dias, fica lotado de gente querendo atravessar as duas vias da BR. Temos que contar com a sorte e a ajuda de Deus, já que não tem uma passarela no local. A travessia aqui é muito perigosa. Estava mais do que na hora de realizar esta manifestação”, disse Luís Alberto de Oliveira, técnico eletricista que trabalha em uma empresa da região.

Foto: Eliezer Dias
Protesto dos metalúrgicos de Betim interrompeu o trânsito por cerca de 10 minutos na BR 381. 
OHL garante passarela pronta até 15 de fevereiro de 2011

A pressão exercida pelo Sindicato e trabalhadores da região do Jardim Piemont já deu resultado. Em reunião realizada na última quarta-feira (10), que antecedeu a manifestação na rodovia, o Sindicato obteve a garantia da OHL Brasil S.A., empresa responsável pela administração da BR 381, através da Concessionária Auto Pista Fernão Dias, de que a passarela será finalizada até o dia 15 de fevereiro de 2011.

De acordo com a OHL, o projeto de construção já foi entregue à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e está em vias de ser aprovado.

Do encontro também participaram representantes da Prefeitura Municipal de Betim e da Polícia Rodoviária Federal.

Para o presidente do Sindicato, Marcelino da Rocha, a garantia de construção da passarela coroa com êxito uma antiga reivindicação que vinha sendo defendida pela entidade pelo menos desde 2004, atendendo a pedido de trabalhadores de empresas da região.

Deputados do PCdoB apoiaram iniciativa

Marcelino lembra que a importante e necessária luta pela construção da passarela motivou audiências públicas na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), através de pedido de reunião com a OHL Brasil S.A, feito pelo deputado estadual Carlin Moura, e, também, discurso da deputada federal Jô Moraes, ambos do PCdoB-MG, na tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília, no último dia 4.

“É uma vitória dos trabalhadores. Esperamos que o prazo estabelecido pela OHL seja cumprido para que, assim, os pedestres e trabalhadores do Piemont tenham segurança na travessia da rodovia e suas vidas preservadas”, ressaltou o presidente do Sindicato, Marcelino da Rocha.

Colaborou, de Betim, Eduardo Durães
  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR