América Latina

26 de setembro de 2010 - 8h48

Zelaya: Há provas sobre a participação dos EUA no golpe 


Estimados companheiros, expresso aos organizadores deste foro, assim como aos participantes, minhas mais sinceras congratulações e reconhecimento, dada a importância deste evento e sua contribuição para a formação da consciência de nosso povo.

Há tempos era necessário que em Honduras fossem discutidos publicamente os assuntos de fundo que nos afetam, sem temer falar das raízes que devemos cortar para que a árvore da democracia se desenvolva.

Com relação ao tema do foro "o imperialismo e o golpe de Estado" remeto a vocês extratos deste artigo que foi publicado neste 24 de setembro pelos editores de Wikileaks, a página da internet que conseguiu filtrar os documentos secretos do Pentágono nos EUA.

Esses editores estão dando a conhecer informações bastante reveladoras de grupos que a CIA manobra dos esquadrões da morte em muitos países do mundo, mencionando o caso do golpe de Estado em Honduras , assim como os casos em que as ações dos assassinos e agentes foram um completo êxito.

A negação débil e incrível feita pelos líderes do governo norte-americano, já não é crível pelo povo estadunidense , que pela imprensa alternativa do gigante do norte se assegura sem temor que alguém vai pagar o preço deste jogo sangrento, seja nas cabines de votação nas próximas eleições próximas ou na forca.

Por que os meios de comunicação dos Estados Unidos mantêm silêncio sobre isso? Por que os partidos políticos, os Democratas e os Republicanos pretendem iludir o público com espetáculos baratos de desinformação?

Os esquadrões da morte da CIA estão ativos em muitas partes do mundo. Há documentos “top secret” que descrevem o que está ocorrendo em Honduras.

O artigo publicado em Wikileaks diz: "O presidente de Honduras Manuel Zelaya foi afastado há pouco mais de um ano por um golpe de Estado organizado pela oligarquia local e pela comunidade de inteligência dos EUA. O golpe foi efetuado usando como pretexto o alinhamento de Zelaya com Hugo Chávez e outros líderes populistas da América Latina. Desde esse momento, o fluxo de noticias de Honduras está repleto de histórias de assessinatos políticos, as vítimas eram ativistas dos sindicatos, organizações camponesas e estudantis, e da Frente Nacional de Resistência Popular de oposição ao regime pró-estadunidense de Porfírio Lobo e simpatizantes do presidente derrubado assim como dez jornalistas foram assassinados este ano"

O caso mais recente típico das ações desses grupos foi o assassinato de Israel Zelaya, de 56 anos, que foi sequestrado por um grupo armado que facilmente pôde atravessar numerosos postos de controle onde estavam carros da polícia criados como parte da campanha de segurança. O jornalista foi levado a um lugar isolado e torturado, por fim executado com dois tiros na cabeça e um no peito”.

Wikileaks diz ainda que dezenas de incidentes similares mostram que um programa de "depuração política" está em curso em Honduras com o auxílio da CIA, o que é muito difícil de ocultar.

O artigo diz ainda que danos colaterais a "civis" de “Murder Inc.” respingaram no Pentágono com as noticias quase semanais sobre a participação da CIA nos assuntos de Honduras.

O artigo pergunta: “O que Obama deveria fazer?”

Estimados compatriotas: Os indícios racionais já com provas como estas sobre a participação dos EUA no golpe de Estado em Honduras são múltiplos e conclusivos; não era possível um golpe de Estado sem a participação dos EUA, ainda que o Departamento de Estado continue negando.

Este golpe de Estado em Honduras, para conter os processos de transformação e a prática de minha concepção socialista do desenvolvimento deve ser considerado como mais um erro da política externa e das posições equivocadas dos EUA que ao longo da história prejudicaram sociedades inteiras em una cadeia interminável de atos de violência e guerras injustificadas que só serviram para massacrar povos inteiros.

Os fracassos do modelo econômico que nos impõem através do FMI e outros grupos financeiros multilaterais, são inaplicáveis às próprias crises do capitalismo selvagem que defendem desastradamente mesmo sabendo do dano irreparável à vida do planeta e à existência da humanidade.

Muitos discutiram durante o século 20 a natureza desse estado superior do capitalismo, mas nenhum deles pôde prever sua essência no começo do século 21; que teriam que usar a violência ao nível de terrorismo de Estado para nos impor seu modelo de exploração .

Pretender que o preço desse desastre seja pago por países como o nosso, onde encontram oligarquias submissas e insaciáveis que veem a vida de cada compatriota como bens descartáveis é um ato de infinita crueldade .

Congratulações, companheiros, continuemos debatendo esses problemas de fundo , isso é parte central da luta; a organização, a disciplina e a criação de consciência em nosso povo sobre as raízes de nossos males . Nós, que nos tornamos vítimas do horror que esse sistema produz e dos que o apadrinham, temos o dever de conhecê-lo a fundo, descompô-lo em pedaços, conhecê-lo parte a parte, para poder seguir lutando, até vencê-lo..

Esta é apenas uma das verdades e da tantas missões que o processo de refundação de Honduras nos impõe.

Fonte: FNRP




  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais