Junto com Lula, perdem o Brasil, a democracia e os brasileiros

O golpe de Estado de 2016 deu mais um passo nesta quarta-feira (24) quando o TFR-4, de Porto Alegre, confirmou a sentença contra o ex-presidente Lula, confrontou a consciência democrática e jurídica e reforçou o ataque ao Estado Democrático de Direito.

Com o ex-presidente Lula, foi julgado todo o povo brasileiro e seu anseio por um Brasil justo, soberano e desenvolvido.

O sentido do golpe promovido em 2016 pelo consórcio midiático, jurídico e parlamentar e de sua segunda etapa ocorrida nessa quarta-feira, em Porto Alegre, é o de afastar o povo do protagonismo político, ferindo a democracia e impedindo qualquer programa que favoreça o desenvolvimento nacional, o fortalecimento do trabalho, com emprego e distribuição de renda.

E ameaça inclusive manietar os poderes do presidente da República, impondo restrições para aumentar sua dependência em relação Congresso Nacional, pretensão explícita na tentativa de impor alguma forma de parlamentarismo mitigado.

A luta pela democracia entra em nova fase, na qual avulta o esforço pela formação de uma frente ampla, democrática, patriótica e avançada, para derrotar a direita e retomar o rumo do desenvolvimento do Brasil.

Uma frente ampla cujo programa seja o desenvolvimento nacional autônomo, a reindustrialização e o fim das medidas de Temer contra o Brasil e os direitos dos trabalhadores e do povo.

É necessária, como defende a pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, Manuela D’Ávila, uma agenda de novas esperanças para o povo e a conquista de um futuro democrático e progressista para o país.

A luta pela democracia e pelo Brasil, o povo e os trabalhadores vai continuar, se aprofundar e crescer.


Publicidade