Marcelino da Rocha

 Presidente da FITMETAL (Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil) e dirigente nacional da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), além de membro do Comitê Central do PCdoB. Foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim (MG) por quatro mandatos

25/09/2017 12h34

Nem o agronegócio sobrevive sem a indústria

A clássica divisão da economia de um país em três setores mostra que o Brasil não faz feio na comparação com outras nações. Apesar da crise política e econômica, temos um respeitável patrimônio no setor primário (agropecuária e extrativismo), no secundário (atividades industriais) e no terciário (comércio e serviços em geral).

16/08/2017 9h37

Um feito histórico para a classe operária

Está em curso uma iniciativa histórica para o movimento sindical. Pela primeira vez desde 1999 (governo FHC), entidades metalúrgicas de todo o País têm se reunido para traçar uma agenda comum e unificada de lutas. Em meio a um cenário tão adverso para o conjunto dos trabalhadores, essas entidades demonstram disposição para superar as diferenças entre si e construir os consensos necessários rumo aos embates.

25/07/2017 10h24

Fortalecer os sindicatos para proteger os trabalhadores

A reforma trabalhista, sancionada sem vetos em 13 de julho passado, representou o mais duro golpe à legislação do trabalho no País. Com uma única canetada, o presidente ilegítimo Michel Temer (PMDB) suspendeu ou restringiu mais de 200 direitos e conquistas dos trabalhadores brasileiros. Uma extensa legislação, construída ao longo de mais de cem anos, foi destruída em apenas 14 meses de um governo golpista e impopular.

10/07/2017 10h27

Os trabalhadores e os efeitos “invisíveis” da crise

Em boa medida, os números traduzem a crise que se arrasta no Brasil desde 2013/2014 – e que se acentuou com o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff no ano passado. Dois dados revelados pelo IBGE sobressaem. Um deles aponta que, no biênio 2015/2016, o País viveu a pior recessão de sua história, com 7,2% de queda acumulada do PIB. O outro revela que, em março de 2017, o índice de desemprego também bateu recorde – 14,2 milhões de brasileiros estavam sem trabalho.

Páginas:     1