Altamiro Borges

Pai de Neymar negocia calote com Bolsonaro

 "Sempre que questionado sobre o calote, Neymar foge como criancinha assustada e seu pai surge como vítima. Mas a situação do craque não justifica a sonegação e nem as negociatas com a turma de Jair Bolsonaro. "

O “capetão” Jair Bolsonaro parece que não liga muito com quem aparece nas fotografias. Talvez ele imagine que a onda conservadora e anticivilizacional será eterna e que ele e seus “amigos” de selfies ficarão impunes pelo restante da vida.

Antes de virar presidente, o fascistoide posou para várias fotos com milicianos assassinos, pastores salafrários, empresários sonegadores, ruralistas truculentos e com candidatos oportunistas, laranjas e corruptos – entre outros bandidos.

Já como ocupante temporário do Palácio do Planalto, o fascistoide segue tirando fotinhos com figuras sinistras – o que deveria gerar constrangimento até nos bolsominions menos tapados, se isso é possível.

Na última quarta-feira (17), Jair Bolsonaro fez questão de posar ao lado do pai do craque Neymar, que coleciona vários processos por sonegação fiscal. E o motivo da visita do “empresário” a Brasília foi exatamente para negociar um calote.

Segundo relato da Folha, “Neymar da Silva Santos foi recebido no Ministério da Economia para reunião com o ministro Paulo Guedes e o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra. Posteriormente ele foi recebido pelo presidente Jair Bolsonaro”.

De acordo com a assessoria do Ministério da Economia, a reunião foi agendada para tratar especificamente de “questões tributárias relativas a atividades esportivas” – um nome bonitinho para a negociação de calote e sonegação fiscal.

Em dezembro passado, o “empresário” e pai de Neymar recebeu uma cobrança de R$ 69 milhões em impostos e multas da Receita Federal. O jogador foi acusado de sonegar tributos quando da sua transferência do Santos para o Barcelona.

“No fim do ano passado, a defesa de Neymar afirmou entender que o valor deveria compensar os R$ 28 milhões pagos pelo atleta na Espanha por conta da transferência, e que a multa é indevida. Assim, acreditam que deveriam pagar R$ 11,5 milhões, por dívida em direitos de imagem e multas aplicadas” – descreve a Folha.

Será que conversa com o “Tchutchuca” Paulo Guedes resolveu essa pendenga fiscal? A alegria estampada na foto foi para registrar o bom resultado da negociata ou foi uma forma de agradecimento de Jair Bolsonaro ao recente vídeo de apoio e puxassaquismo gravado pelo jogador Neymar?

Em tempo: Sempre que questionado sobre o calote, Neymar foge como criancinha assustada e seu pai surge como vítima. Mas a situação do craque não justifica a sonegação e nem as negociatas com a turma de Jair Bolsonaro.

Após sua transferência do Barcelona para o PSG em 2017, na qual embolsou 222 milhões de euros (cerca de R$ 1 bilhão), Neymar passou a ser considerado o “jogador mais caro do mundo”. Além dessa grana, ele também é um dos atletas mais bem pagos como garoto-propaganda. No ano passado, ele faturou cerca de R$ 100 milhões com publicidade.

*  Jornalista e presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé.

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Portal Vermelho



Publicidade

TEXTOS DESTE +

OUTRAS COLUNAS