Eron Bezerra

Camaradas do PPL, sejam bem vindos!

Um ato solene, realizado em São Paulo no dia 02 de dezembro de 2018, oficializou a incorporação do Partido Pátria Livre (PPL) ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e assegurou o funcionamento pleno de ambas as organizações.

Dentro da premissa de que “a humanidade não se põe problema que não possa resolver”, essa medida, zelosamente executada por ambas as direções partidárias, foi uma resposta política e teórica a ofensiva das forças conservadoras que há anos tentam inviabilizar o funcionamento das organizações revolucionárias, cuja existência eles apenas fingem tolerar.

Essa importante medida política, todavia, não deve servir para que nos acomodemos. Ao contrário. Deve exigir de cada militante do PCdoB-Pátria Livre uma análise cuidadosa e criteriosa dos nossos erros e insuficiências para, doravante, não facilitar o trabalho da direita.

Precisamos passar em revista o nosso diálogo com o povo, na forma e no conteúdo, para não permitir que amplas parcelas do povo, cujas bandeiras e lutas tem sido a razão de nossa existência, sejam criminosamente manipuladas pela direita, inclusive buscando nos antagonizar com essa legião de trabalhadores e trabalhadoras.

Demos uma resposta a ofensiva da direita dentro das nossas possibilidades. Precisamos assegurar que no futuro não sejamos novamente emparedados dentro da “legalidade”.

A incorporação do PPL, todavia, não se restringe ao aspecto eleitoral. Transcende para todo o movimento social, onde eles têm uma histórica militância, seja na área estudantil, sindical e dos demais movimentos sociais.

Por tudo isso a incorporação do PPL deve ser entusiasticamente saudada.

Meus camaradas do PPL, sejam bem vindos!

* Professor da UFAM, Doutor em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia, Coordenador Nacional da Questão Amazônica e Indígena do Comitê Central do PCdoB.

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Portal Vermelho



Publicidade

TEXTOS DESTE +

OUTRAS COLUNAS