José Carlos Ruy

O golpe do pedalinho

Sem conseguir acusação melhor contra o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e sua esposa, Marisa Letícia, o consórcio direitista de setores da polícia Federal, do Judiciário e a mídia golpista – inovou e colocou em ação o golpe do pedalinho.

Lula é acusado de ter cometido ações nefastas ou ter tolerado muitas delas. Mas as provas não aparecem! 

Nas últimas cresceu na mídia hegemônica o falatório sobre o “tríplex” do Guarujá e o sítio de Atibaia. E todo desmentido feito por Lula foi encarado pela investigação como “ocultação” de patrimônio.

A “prova” que conseguiram foi a compra, primeiro, de um barco de lata, pela ex-primeira-dama Marisa Letícia, que custou pouco mais de 4 mil reais! E, depois, de dois pedalinhos que os netos do ex-presidente usam par se divertir no pequeno lago que existe no sítio de Atibaia.

Na falta de uma acusação consistente para agir contra Lula, foram os argumentos usados para deflagrar a operação que recebeu o nome besta de Aletheia (que, em grego, significa verdade) para conduzir o ex-presidente, sob força, para depor.

Não é um nome adequado – não se pode encontrar a verdade neste cipoal de mentiras. Talvez, num momento de franqueza, quem batizou aquela operação devia tê-la chamado de Golpe do Pedalinho! Seria mais adequado.

* Jornalista, editor da Classe Operária, membro da Comissão Nacional de Comunicação e do Comitê Central do PCdoB; é da Comissão Editorial da revista Princípios

Opiniões aqui expressas não refletem necessariamente as opiniões do site.



Publicidade

TEXTOS DESTE +

OUTRAS COLUNAS