''Fascista sem máscara'' na internet

A disputa deste ano do Prêmio iBest – baseado no voto direto dos internautas e considerado por muitos como “o Oscar da internet brasileira” – revela que a sociedade também está dividida entre a esquerda e a direita no ciberespaço. Nos primeiros lugares

Isto não significa que o site seja “cachorro morto”, até porque a votação vai até maio e ele já levou o prêmio no ano passado, quando os critérios do iBest eram bem mais restritivos.

 

Alucinações do “filósofo”

 

Para quem tiver estômago, vale à pena conhecer as teses ultra-reacionárias do site, que é editado pelo “filósofo” Olavo de Carvalho. Já na apresentação da página, o fascistóide escancara a sua esquizofrenia. “Mídia Sem Máscara é um website destinado a publicar idéias e notícias que são sistematicamente escondidas, desprezadas e distorcidas em virtude do viés esquerdista da grande mídia brasileira”. Para este lunático, que teme o perigo comunista até na sobra, a revista Veja, os jornais Folha e Estadão e a TV Globo dão espaço em demasia para a “manipulação esquerdista”. Olavo de Carvalho gostaria que estes veículos, que já são direitistas, pregassem abertamente um novo golpe militar, novas prisões e torturas e o retorno à ditadura, e bradassem: “Heil, Hitler!”.

 

Ridicularizado até por setores conservadores mais hábeis e sutis, ele se ressente do isolamento. “No Brasil, os poucos que tentam enfrentar essa situação são vítimas do ódio, da covardia e da mesquinhez de expedientes a que homens poderosos têm recorrido para nos calar. A má vontade surda e cega – quando não a ironia e a chacota – que os indiferentes e alienados opõem são indescritíveis. O que torna as coisas ainda mais difíceis é que nos últimos anos o estimulo geral à expressão de crenças esquerdistas encorajou todos os analfabetos do país”, resmunga o fascista num linguajar preconceituoso. Mas o fundamentalista é bem persistente: “Pouco nos importa a desproporção de forças. Quando os grandes se acovardam, os pequenos têm de dar o exemplo”.

 

“Minha defesa no Juízo Final”

 

Olavo de Carvalho, que hoje reside em Richmond (EUA), é mesmo um egocêntrico e se acha um enviado de Deus no combate às idéias “diabólicas” da esquerda. Em entrevista recente à Revista Atlântico, ele se jacta de ser um estudioso da “mente revolucionária”. Atormentado, alerta: “A esquerda assume cada vez mais orgulhosamente a sua identidade, ao mesmo tempo em que sua influência política se torna cada vez mais dominante. A direita, por seu lado, se encolhe numa timidez abjeta, negando a sua própria existência... Se eu conseguir lançar toda a claridade que pretendo, creio que terei feito alguma coisa de útil, pelo menos para dar a Nosso Senhor Jesus Cristo um pretexto que ele possa alegar em minha defesa no Juízo Final”.

 

Na mesma entrevista, ele elogia a sangrenta ditadura salazarista em Portugal. “O salazarismo foi uma estranha mistura de conservadorismo cristão com elementos extraídos do fascismo... Não tenho a menor dúvida de que Antonio de Oliveira Salazar foi um homem honesto e um grande administrador”. Também critica a democracia liberal e prega abertamente a ditadura fascista. “O liberalismo acredita que a liberdade é um princípio fundante da política, mas a liberdade é apenas uma regra formal que, elevada à condição de princípio, resulta no esvaziamento relativista de todos os valores, fomentando a mutação revolucionária e a extinção da própria liberdade”. Típico neocon do falido governo George Bush, Olavo de Carvalho defende os conservadores dos EUA.

 

“Mandei seu jornal à merda”

 

“Mídia Sem Máscara” expressa de forma grotesca este pensamento reacionário e doentio. Olavo de Carvalho e seus fiéis seguidores têm ódio do governo Lula. O site afirma, de maneira risível, que o atual presidente é um dos líderes do movimento comunista internacional. A prova seria a presença no Foro São Paulo, que reúne partidos progressistas da América Latina. O tratamento dado ao governo é dos mais desqualificados, com acusações rastaqüeras contra os familiares do presidente, tentativas de ligá-lo ao terrorismo e ao narcotráfico e outras baixarias do gênero. O site não poupa nem os partidos do bloco liberal-conservador, que seriam frouxos na oposição.

 

“O PFL adaptou-se às circunstâncias, aceitou a condição de mero coadjuvante da esquerda light e mudou de nome para ficar parecido com o Partido Democrata americano (partido preferido de Hugo Chávez e Fidel Castro)”. Indignado, Olavo de Carvalho acusa a direita de ter adotado “ao programa esquerdista em todos os pontos, como o gayzismo, o abortismo, as quotas raciais e o anticristianismo militante”. As maluquices deste fascistóide já lhe custaram o emprego no jornal gaúcho Zero Hora. Encerrada a eleição de 2006, este veículo de direita se livrou do seu pitbul. Magoado, Olavo de Carvalho esbanjou a sua filosofia após receber a carta de dispensa. “Ilustre editor, já mandei seu jornal à merda. Sua cartinha é desnecessária, assim como seu dinheiro”.

 

“Mídia Sem Máscara” ataca tudo o que há de progressista no país. Sua ira contra os movimentos sociais chega a ser ilegal, um atentado à democracia. Um artigo recente afirma que “o MST está mais para organização terrorista do que propriamente para o que se convencionou chamar de ‘movimento social’ – ou um é sinônimo do outro... Para quem desconhece, é bom ressaltar que o MST e agregados (Via Campesina, MLST e outros) não são organizações comunistas nacionais. Estão vinculados e recebem dinheiro de organismos e associações internacionais, em especial da Venezuela, China... Para não falar nos bilhões de reais repassados ao ‘movimento’ pelo próprio governo que, a pretexto de assentar os ‘sem terra’, os abastece de afagos, comida e salário”.

 

“Chávez é um artefato de Lula e Fidel”

 

O reacionarismo também é patente nas análises internacionais, inclusive na tradução de notórios fascistas do mundo todo. Nos últimos dias, o site postou o “réquiem para um assassino”, fazendo coro com os gusanos (vermes) contrários a Fidel Castro. Num artigo mentiroso e infame, Graça Salgueiro atacou todos os que apóiam a revolução cubana. “O anúncio do ditador Fidel Castro de que estaria se afastando do poder da ilha-cárcere provocou enorme comoção nos que defendem com unhas, dentes, lagrimas nos olhos e voz embargada a maior miséria humana do século 20, embora não se tenha notícia de que nenhum do defensores do genocídio castrista tenha fugido do seu país para viver no ''paraíso caribenho''. Que o digam os comunas que vivem como burgueses: Chico Buarque em Paris e o caquético Niemayer numa cobertura em Copacabana”.

 

Outro alvo constante dos ataques histéricos do site é Hugo Chávez, a encarnação do satanás na terra. Ipojuca Pontes, ex-secretário de cultura de Collor de Mello, garante que o presidente da Venezuela é “uma crescente ameaça à estabilidade democrática no continente – um vendaval de poeira tóxica que convém a todo custo neutralizar... Chávez interfere na vida política dos países vizinhos, apóia o terrorismo narcotraficante das Farc, insulta líderes políticos que não rezam da sua cartilha, abastece com dólares e petróleo a ditadura de Fidel Castro, contrabandeia armas...”. Ipojuca prega indiretamente a intervenção militar dos EUA na região e revela toda sua paranóia. “Se a CIA dedicasse o mínimo de atenção aos encontros periódicos em que o Foro de São Paulo trama a implantação do comunismo no Cone Sul, veria que Hugo Chávez não passa de artefato nas mãos de Lula e Fidel Castro para desempenhar o papel de ''aríete da revolução socialista'' ”.

 

“Personagem ridículo e troglodita”

 

Como se observa, “Mídia Sem Máscara” é a expressão caricatural do que há de mais reacionário na sociedade brasileira. O sociólogo Emir Sader, outro que é sempre atacado nas páginas do site, ironiza ao dizer que “Olavo de Carvalho não existe”. Seria fruto de uma invenção, “personagem ridículo e troglodita”, usado para ridicularizar o pensamento conservador. Segundo boatos, “esse infamante personagem trabalha financiado por uma rica empresa que explora o polpudo mercado do ensino privado... Os espaços que ele tem em jornais e revistas são comprados, fazendo parte dos custosos contratos de publicidade que a ''universidade'' faz nos meios de comunicação”.

 

Sader conclui: “Todo país tem um pensador de extrema direita. Mas no Brasil inventaram este grotesco personagem, deram-lhe um tom improvável, ridículo, ignorante e o expõe à execração pública, personagem que a esquerda goza ou, pior, desconhece, diante dos patéticos apelos para polemizar, que ninguém aceita e o deixa na sua solidão exposto ao escárnio”. Os comentários de Emir Sader, como sempre, são consistentes. Mas, diante da boa colocação do site “Mídia Sem Máscara”, que revela que suas idéias ainda têm público, não custava alerta os internautas sobre a importância da votação no prêmio iBest. É preciso derrotar os “fascistas sem máscaras” no país.

*

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Portal Vermelho



Publicidade

TEXTOS DESTE +

OUTRAS COLUNAS