As Cartas do Pai por Ivan Cosenza

Como se faz humor político

 .

São Paulo, 13 de Agosto de 2019

Pai,

vim para São Paulo fazer o lançamento no Sindicato dos Jornalistas de SP, do seu livro “Como se faz humor político”, que você fez junto com o Tárik de Souza.

Fizemos um debate sobre humor político, neste momento em que o ódio e a intolerância tomaram conta do país.

A Rose Nogueira veio! Lembrou de quando vocês trabalharam na “TV Mulher” e faziam juntos o quadro “TV Homem”, onde você inovou, e criou uma linguagem diferente, em suas esquetes. Fez um sucesso incrível, e ganhou muitos prêmios.

Depois escrevo uma carta só sobre isso!

Ela lembrou que você dizia:

-“O jornalismo é a profissão mais bonita eu conheço!”.

Laerte contou um pouco sobre a atuação de vocês na época do “Bunker do Henfil”, quando você juntava um monte de cartunistas no seu apartamento aqui em São Paulo, e produziam material para as campanhas sindicais.

Contou também sobre como está sendo, ser cartunista em um momento tão delicado, e que ele fica imaginando, o que você estaria desenhando e falando sobre tudo isso que está acontecendo agora, aonde não se consegue mais conversar sobre política sem ser ofendido.

Quando os apoiadores do presidente, não concordam com alguma coisa que a gente diz, eles só ofendem. Não sabem argumentar, não sabem debater. São movidos pelo ódio.

Hoje, quem está fazendo oposição ao governo e não está sendo xingado, é porque está fazendo oposição errada!

Eu estou sendo xingado, pai.

Pode se orgulhar de mim!

Um beijo do seu filho,

Ivan

* Produtor cultural, presidente do Instituto Henfil, filho e curador da obra de Henfil

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Portal Vermelho



Publicidade

TEXTOS DESTE +

OUTRAS COLUNAS