Mundo

20 de novembro de 2017 - 23h19

Luciana Santos reúne-se com representação do Vietnã 

 Luciana Santos (à esquerda) recebeu a representação vietnamita  Luciana Santos (à esquerda) recebeu a representação vietnamita

A delegação vietnamita corroborou a tendência de perda relativa do poder hegemônico da potência estadunidense — agravada com a política imperialista de protecionismo e unilateralismo praticada pelo atual presidente dos EUA, Donald Trump — exemplificada com a retirada americana do Tratado Trans-Pacífico. Com essas medidas vai-se abrindo espaço para o crescimento de vários polos de poder econômico e político na periferia do sistema capitalista mundial. Expressão desse fenômeno é o fortalecimento de importante articulação de duas dezenas de países da Ásia e do Pacífico que constituem a APEC — a organização de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Asia-Pacific Economic Cooperation, na expressão em inglês) que é um fórum que congrega 21 países-membros e que visa promover o comércio e a cooperação econômica em toda a região da Ásia e do Pacífico. O chefe da delegação do Partido Comunista do Vietnã relatou que acabou de abrigar em seu país a 25a. Reunião de líderes da cúpula da APEC,que reuniu chefes de Estado de muitos países, com a presença do secretário-geral do PCV, Nguyen Phu Trong, do presidente da República.Popular da China, Xi Jinping, do presidente da Federação Russa, Vladimir Putin entre outras personalidades.

Os delegados vietnamitas asseveraram que o Vietnã vem de um período muito destacado de crescimento econômico contínuo, aplicando uma política denominada “Renovação” (chamada pelos vietnamitas de Doi Moi) que é o nome dado para as reformas econômicas iniciadas no país em 1986, com o objetivo de criar uma economia de mercado de orientação socialista e que permitiu uma verdadeira transformação na face do Vietnã conhecido por sua combatividade e sua resistência a todas as intervenções e invasões que outros países ousaram perpetrar contra o país asiático. Parte deste sucesso econômico foi função de um processo de crescimento da capacidade de produção e exportação de commodities primárias e de mercadorias de alto valor agregado. Uma das importantes missões da embaixada do Vietnã no Brasil tem sido fazer crescer o volume das relações comerciais entre o nosso país e o Vietnã. Recentemente, disse o embaixador Do Ba Khoa, esteve em visita ao Estado de Minas Gerais onde estabeleceu contatos frutíferos com o governo de Fernando Pimentel e com a federação das Indústrias do Estado, a FIEMG.

A presidenta Luciana Santos, por sua vez, fez uma síntese das principais preocupações políticas do Partido nesta grave crise política, econômica e social por que passa o Brasil, questões que fazem parte dos documentos aprovados na última reunião do Comitê Central do PCdoB prévia à realização do Congresso partidário. Na ocasião, Luciana enfatizou a orientação tomada pela direção partidária de lutar pela realização das eleições presidenciais de 2018, que poderão recolocar o país no rumo democrático que foi interrompido em 2016, com o impeachment ilegal da presidenta Dilma Rousseff. Ao lado disso Luciana também informou sobre o lançamento da pré-candidatura presidencial do Partido para a campanha eleitoral de 2018.

Luciana lembrou depois que foi reinstalado recentemente na Câmara dos Deputados o Grupo Parlamentar de cooperação e amizade Brasil–Vietnã sob a coordenação da deputada Federal do PCdoB de Minas Gerais, Jô Moraes. Existe em planejamento para 2018 a organização de uma caravana parlamentar brasileira para visitar o ParlamAo lado desta articulação institucional Luciana também destacou o trabalho da Abraviet, Associação de Amizade Brasil–Vietnã instalada em Brasilia, com organizações regionais no Rio Grande do Sul, em Minas Gerais e em processo de formalização no Maranhão, no Ceará e no Espírito Santo. Neste trabalho tem se procurado estreitar as relações entre os dois países irmãos. Na capital do Maranhão, em São Luis, já foi possível assinar um acordo de cooperação de Cidades–irmãs com a antiga capital imperial do Vietnã, Hue, bem ao centro do pais asiático. Uma das particularidades comuns a estas duas cidades foi o fato de terem sido durante determinado período colonizadas pelos franceses nos séculos 19 e 20.

Por fim, o senhor Tran Dac Loi foi portador de um convite do Comitê Central do Partido Comunista do Vietnã endereçado ao PCdoB — para que a presidenta do PCdoB, Luciana Santos, visite o Vietnã quando for possível neste ano de 2018.
Pedro de Oliveira, de Brasília


 De Brasília, Pedro Oliveira

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais