Brasil

25 de setembro de 2017 - 13h47

Emendas parlamentares podem dar sobrevida à Uerj


Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
   
De acordo com a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), há meses os parlamentares vêm se reunindo com a diretoria da universidade para encontrar soluções e manter a Uerj aberta. “Há uma falência completa do estado e os acordos feitos por Pezão não estão sendo cumpridos. Diante disso, nós temos tentado encontrar saídas para a Uerj, pois precisamos avançar”, disse.

Meses de greve, adiamento do período letivo, fechamento do restaurante universitário, atraso no salário dos docentes, e agora a paralisação da limpeza são alguns expoentes da crise pela qual passa a universidade. Segundo a Uerj, o estado do Rio deve mais de R$ 250 milhões à universidade, que, sem dinheiro em caixa, não pode fazer repasses para empresas terceirizadas que cuidam, por exemplo, da limpeza e da segurança de suas unidades.

“Essa é uma crise sem precedentes que vem desde meados de 2015 e só vem piorando. A limpeza da universidade deve parar de funcionar agora, pois em 12 meses de contrato, a empresa só recebeu uma parcela. Espero que consigamos viabilizar essas emendas para ver se tiramos a universidade desse grande abismo”, afirmou o reitor da Uerj, Ruy Garcia Marques.

Nas próximas semanas, os parlamentares levarão a discussão aos demais membros da bancada fluminense para avaliar os recursos e destinar parte para a universidade. As emendas devem ser apresentadas até meados de outubro.

Para o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), esta é a forma mais concreta de os parlamentares contribuírem para a manutenção da universidade. “Temos denunciado esse descaso com as universidades. Não tem fornecedor que acredite no Pezão. Então, vamos manter as denúncias e tentar emplacar essas emendas para ajudar esta importante universidade.”

Também participaram da reunião os deputados Celso Pansera (PMDB-RJ), Benedita da Silva (PT-RJ) e Glauber Braga (PSol-RJ).




 Do Portal Vermelho

  • VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENCAMINHAR

Últimas Mais